Fale conosco:41 3016.5345kitron@kitron.com.br
Home > Blog

10 Erros Financeiros nas Empresas

Postado em 18 de Julho de 2016
Imagem de ilustração: 10 Erros Financeiros nas Empresas
Não é só de venda que vive uma empresa. Você deve imaginar a sua empresa como um grande edifício com diversos alicerces que o sustentam, um desses alicerces é a gestão financeira. O erro de muitas empresas brasileiras é não estarem cientes disso, ou seja, muitas vezes são ótimas empresas na oferta de seus serviços, mas pecam em seu controle financeiro. Foi pensando nisso que elaboramos abaixo os 10 principais erros financeiros que normalmente encontramos nas empresas:
 
1 - Não ficar atento às taxas dos bancos: Este item é bem comum, pois alguns empresários simplesmente aceitam as taxas que os bancos oferecem e não negociam uma redução, o que acarreta no pagamento de tarifas bancárias exorbitantes, o cenário ainda piora, ao verificar que normalmente a empresa não possui somente uma conta bancária. A solução para isso é analisar qual sua necessidade bancária, ou seja, quais as operações que você realiza mensalmente, o total de transações com outros bancos, os seus limites bancários e o valor que você possui aplicado na instituição financeira, com esses dados em mãos você deve conversar com o seu gerente e estudar com ele um novo pacote bancário moldado as suas necessidades.
 
2 - Não negociar com fornecedores: A gestão dos fornecedores é essencial para o seu fluxo de caixa e posteriormente para a precificação final de seu produto. Saber comprar é quase mais importante do que saber vender, portanto, ao criar a sua lista de fornecedores leve em consideração as suas necessidades, o limite que você pode comprar, as condições de pagamentos, as garantias concedidas, entre outros itens. Nunca fique preso a somente um fornecedor, busque diversificar, pois se não com certeza você será explorado por ele.
 
3 - Não fazer investimentos: Como já se diz: Dinheiro parado é dinheiro perdido. Se você possui uma folga financeira, busque aplicar esse dinheiro, seja na expansão de seu negócio ou no mercado financeiro. Invista em um novo produto que você acha que tem mercado para ele, crie marcas conceituadas no mercado, faça o seu diferencial competitivo.
 
4 - Não manter capital de giro: O capital de giro, como o próprio nome diz, é o dinheiro que deve ficar reservado para manter a sua empresa operando, seja para a compra de novos insumos, pagamento de fornecedores, pagamento de funcionário, pagamento das despesas operacionais, etc. O que infelizmente vemos na prática é a cultura do gasto, isto é, consumir com toda a sobra do caixa e quando se precisa de dinheiro urgente, contrata-se empréstimos com taxas de juros altíssimas, comprometendo a vida financeira da empresa.
 
5 - Fazer muitos empréstimos bancários: Como foi dito anteriormente, a contratação descontrolada de empréstimos é fatal para qualquer empresa, pois ela se torna uma bola de neve difícil de desfazer. Isso se deve ao fato que os empréstimos afetam diretamente a rentabilidade do negócio, isto é, ao emprestar dinheiro atrelei mais uma despesa ao meu negócio, consequentemente deveria aumentar o meu preço de venda, mas não posso fazer isso se não a empresa não vende, ou seja, a margem de lucro do meu negócio diminuiu. 
 
6 - Antecipar todos os recebimentos: Uma das opções escolhidas pelos empresários na falta do capital de giro é antecipar seus recebimentos, porém as taxas bancárias nesse tipo de operação são bem altas. Para que uma empresa possa realizar a antecipação de recebíveis, ela deve antes analisar qual a sua margem de lucro na prestação daquele serviço e verificar se a opção de antecipa-lo é viável ou não. O que encontramos na prática são empresas que antecipam todos os seus recebíveis devido a dificuldades financeiras, porém a sua margem de lucro não suporta esse tipo de operação, o que leva cada vez mais a empresa a se afundar em empréstimos.
 
7 - Não controlar os pagamentos e recebimentos: Esse é um típico problema de gestão de empresas que não possuem um sistema de contas a pagar e receber, fazendo com que a empresa pague muitos juros devido ao atraso no pagamento, por simplesmente esquecer. A solução para isso é muito simples nos dias de hoje, basta a empresa implantar um bom sistema financeiro, parametrizá-lo muito bem que dificilmente irá esquecer de alguma obrigação.
 
8 - Acumulo de dívidas fiscais e trabalhistas: Acumular dívidas fiscais e trabalhistas é extremamente prejudicial, pois além da incidência cumulativa de multas e juros, há sanções que a sua empresa pode sofrer como o impedimento de participar de licitações e a exclusão em algum benefício fiscal, como o Simples Nacional. A dica de ouro é:  não fique sem pagar os impostos, pois uma coisa que o nosso governo faz muito bem é controlar a parte fiscal e cobrar de você cada centavo.
 
9 – Não projetar o fluxo de caixa: A projeção do fluxo de caixa é essencial para mensurar quanto a empresa deve faturar naquele mês para que cubra os gastos operacionais, além de possibilitar o agendamento de pagamentos, como os fornecedores e comissões, prever dificuldades financeiras e a realização de investimentos.
 
10 – Não ter uma Disciplina Financeira: Assim como nas contas pessoais a empresa tem que ser disciplinada nos seus gastos, evitar excessos, manter as contas em dia, não exagerar nas previsões superestimando receitas e subestimando gastos, ignorando pequenas gastos que podem se transformar em grandes despesas.
 
Agradecemos a lida desse artigo, e se ele foi útil para você, compartilhe nas redes sociais e ajude a divulgar nossos serviços a outras pessoas interessadas. E caso ainda reste dúvidas, contate-nos, que um dos nossos contadores podem lhe ajudar.
 
 
Confira também, alguns de nossos outros posts:
 
 
AUTORIA: KITRON Contábil.
O seu escritório de contabilidade em Curitiba.

Comentários